Assim que convencemos a minha mãe a colocar a prótese parcial, sempre explicando para ela dos benefícios, que ela ia poder voltar a sorrir. Foi tudo enfatizado, tudo focado no sorriso. Ela se fechou, né? E o acompanhamento odontológico do dentista foi muito bom, explicou bastante e deu o apoio. Tudo girou em volta dessa qualidade de vida que ela ia voltar a ter: a sorrir, a poder sair, a ir e vir nos lugares, ir para a casa dos parentes, isso foi bastante enfatizado, né? Acompanhei as idas e vindas ao dentista sempre. Algumas vezes ela desanimou, pensou em desistir e na hora de testar a prótese também incomodou. Mas o apoio moral que a família deu, os amigos e a ajuda do dentista foi bem importante, e bastante enfatizada nessa qualidade de vida que ela ia voltar a ter: poder voltar a sorrir, que ela ia comer melhor, que ela ia fazer tudo melhor. Isso estava muito deprimente para ela, a falta do sorriso.